16 LIÇÕES PARA O FISIOTERAPEUTA QUE LIDA COM DISFUNÇÕES DE ASSOALHO PÉLVICO (PARTE 6)

Imagem2

 

Vários pesquisadores tem buscado estudar os fatores associados à ocorrência dos defeitos dos levantadores do ânus (LAD). Por exemplo, VanDelft e colaboradores em 2014, desenvolveram um modelo de predição do risco de ocorrência de LAD, que pode chegar a 75%, a partir da duração do segundo estágio de trabalho de parto, do uso de fórceps e da lesão de esfíncter anal.  Antes do parto, o risco pode ser identificado de acordo com a idade da mulher no 1º parto. Para mulheres em torno de 20 anos, a chance de LAD é <15% e, para aquelas entre 40 anos, chega a ser de 50% ou mais (Dietz, 2011). Portanto, durante a entrevista com a paciente e/ou durante o exame físico é importante investigar sobre: história obstétrica de 2º estágio de trabalho de parto prolongado, uso de fórceps, episiotomia, ruptura de esfincter anal, cabeça fetal grande, idade acima de 40 anos no primeiro parto, diâmetro ântero-posterior da pelve pequeno, hiato do levantador do ânus pequeno antes do parto.  Queixa de vagina frouxa durante o primeiro ano após o parto pode ser um indicativo de LAD.

 

Fernanda Saltiel

Consultora Científica BEC

CompartilharShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *
Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>